Pular navegação

Detalhamento do Estudo de Caso: Palco Livre Expoidea 3.0

Detalhamento do Estudo de Caso: Palco Livre Expoidea 3.0

Precisamos de algum(a) voluntá[email protected] para detalhar a experiência da ação cultural São SAMBAS como parte da formação em Gestão Colaborativa de Empreendimentos Criativos e o movimento [email protected]

Contexto do Estudo de Caso:

  • O Laboratório Vivo
    • Experimentação aberta, acessível a todos
    • Documentação construída espontaneamente pela colaboração
    • Laboratório Vivo como ambiente de vivência (mais valioso que o resultado) ex: produção colaborativa do são sambas e do palco livre EXPOIDEA na Concha da UFPE
    • Porque o laboratório vivo é baseado em projetos abertos
    • Inovações inesperadas

Capitulo do Livro: Aprender Fazer, Fazer Aprendendo

http://www.corais.org/colabor/node/80036

Tamanho minimo: 600 caracteres e máx 1200 caracteres.

Sugestão: Textos curtos com links para informações mais aprofundadas. 1 imagem para destaque.

Responsáveis: 
Jatobá
Responsáveis: 
[email protected] Barros

Comentários

#1

O Festival Palco Livre tem em sua experiência prática uma gestão totalmente colaborativa, onde artistas individuais, grupos culturais e bandas, participam e ganham autonomia na formação do seu público, dando-se visibilidade e automaticamente legitimando todo processo colaborativo ao qual ele foi submetido. Como isso se aplica na prática? O quais impactos geram na sociedade? Essas perguntas tentarão ser respondidas abaixo, com a experiência de quem não apenas observou tal fonomêno, mas quem colaborou e foi quebrando seus próprios paradigmas durante toda gestão colaborativa. Criado dentro da Metodologia da Produtora Cultural Colaborativa, o Festtival Palco Livre é a concretização de como os modelos de Gestão Colaborativas se realizam na prática. Gerido pela Plataforma de trabalho Livre http://www.corais.org, e produzido pela Produtora Colabor [at] tiva [dot] PE. Artistas individuais, grupos culturais e bandas seguem contribuindo com o mesmo ciclo colaborativo. As iniciativas culturais criam suas contas no Corais, onde encontram-se também os cadastros das inciativas culturais, realizando todo o processo. Em seguida as inicativas criam suas contas nos nossos acervos culturais digitais: http://www.teia.org.br ou http://www.nacaocultural.com.br. publicando conteúdos em diversas linguagens: ÁUDIO, VÍDEO, TEXTO, IMAGENS, NOTÍCIAS E EVENTOS relacionados as próprias inciativas culturais.Isso replica diretamente na forma de realizar ações e eventos de forma colaborativa. Seguindo a lógica contrária de mercado tradicional. Ressignificando modelos e padrões na concepção, produção e finalização de ações culturais. 

Dentro desses parâmetros, o Festival Palco Livre Expoidea 3.0 conseguiu, de forma [email protected], ser realizado, na Concha Acústica, ṕromovendo seletivas de Março à Setembro de 2013, que culminou com a gravação de DVDs, das 10 iniciativas mais auto-pontuadas durante todas as seletivas. As inciativas após terem seus próprios conteúdos temáticos publicados, nos portais de acervos culturais, ITEIA e NAÇÃO CULTURAL. Concretizando todo o processo formando uma REDE, que iniciou-se no Corais e acaba na produção de ações, que impactam diretamente na formação de uma sociedade menos competitiva e mais colaborativa. Potencializando toda rede, conectando-se não apenas em plataformas livres, mas promovendo interações sociais presenciais e concretas. Contribuindo com o processo de afirmação da cultura local. Dando autonomia aos artistas para criar, não apenas seus espaços independentes, na Internet. Dão a possibilidade de criar o seu próprio público e renda. Se iniciativas como a descrita aqui neste texto, passarem a ser mais difundidas e estimuladas teremos a possibilidade de mudar toda realidade imposta pelos grandes mercados musicais. Que beneficiam artistas engajados com artes, que ajudam massificação da sociedade. Todos estes processos livres e colaborativos mostra-se totalmente eficiente em contraponto ao modelo atual. Nos organizando coletivamente, seja de forma presencial ou virtual, para estimular ideias, ações, organizações, software e principalmente, conhecimentos livres.