Pular navegação

Análise Cognitiva

Análise Cognitiva

A Análise Cognitiva especula como será o processo de aprendizado do usuário sobre a operação de um produto. Nesse processo, ela enfatiza as diferenças entre a experiência do usuário, suas expectativas e seu aprendizado.

O foco da análise são nos três pontos cruciais levantados por Norman no livro O Design do Dia-a-Dia (2006):

  • Propiciação (affordance) - como o usuário perceberá o que ele pode fazer com a interface
  • Memória (recall) - como o usuário tem que guardar e lembrar de informações para interagir
  • Descompasso (breakdown) - como o usuário pode se surpreender com a interface e aprender algo que não esperava aprender, por exemplo, através de um erro ou defeito na interface

Para realizar a análise, basta fazer as seguintes perguntas para cada estágio da interface analisada:

  • O que o usuário precisa saber?
  • O que o usuário precisa lembrar?
  • O que o usuário pode descobrir?

Em seguida, pode-se comparar estes requisitos do usuário com as funcionalidades que a interface oferece para suprí-los:

  • O que a interface explica?
  • O que a interface armazena?
  • O que a interface propõe?

Possivelmente haverão contradições entre as respostas, o que pode apontar sugestões de melhorias. A Análise Cognitiva é útil para avaliações formativas durante o processo de criação das interfaces e, ao contrário da Análise Heurística, não exige conhecimentos prévios. É um método interessante para pedir uma segunda opinião de um colega de trabalho sobre uma interface projetada.

O resultado mais interessante do método é que torna visível a quantidade imensa de conhecimentos que o usuário precisa ter para operar uma interface e que nem sempre a interface ajuda a fazer a ponte entre o que ele sabe e o que ele pode vir a descobrir. Na verdade, as descobertas mais importantes acontecem quando acontece algo inesperado, o descompasso. É uma quebra no fluxo que obriga o usuário a reavaliar seu curso de ação. Ou ele tenta de outro jeito, ou desiste. Tentando de outro jeito, ele pode aprender algo que não esperava. 

Veja o arquivo em anexo para um exemplo prático de aplicação do método com um modelo de planilha.

Pré-visualizarAnexoTamanho
analise_cognitiva.ods8.61 KB