Biblioteca de padrões de interface

Hoje nós temos a seção dos projetos, com suas ferramentas de colaboração específicas para os projetos e a Árvore do Conhecimento com descrição de métodos e documentos. Um próximo passo para apoiar os projetos específicos poderia ser uma biblioteca de padrões de interface.

O que é um padrão de interface? É um tipo de estrutura de interação que se torna comum num determinado ambiente a ponto de ser reconhecido como um padrão, dada sua repetição. Não é uma regra ou Lei, mas apenas uma prática comum. 

O arquiteto Cristopher Alexander apresentou a idéia de padrões nos anos 60 e explicou que eles formam uma espécie de linguagem do design. 

Então a proposta aqui seria criar uma biblioteca de padrões de interface colaborativa, que qualquer um poderia acrescentar novos padrões e complementar as descrições dos existentes. 

Fiz um rabisco de como seria uma página de padrão:

Um diferencial dessa biblioteca é que ela agrega não só dados de projeto, mas também de uso. O uso de vídeos de testes de usabilidade executados nos projetos do Corais poderiam ser úteis para entender o outro lado do padrão, que é a expectativa do usuário. Não é porque um padrão é repetido diversas vezes que ele é bom! 

Essa inclusão de dados de uso implicaria também em desenvolver uma nova ferramenta de projeto para analizar e armazenar vídeos de testes de usabilidade.

O que vocês acham da idéia? Tem algo a acrescentar? 

Pré-visualizarAnexoTamanho
patter_library.graffle0 bytes

Comentários

#1

Acho muito interessante a iniciativa.

Inclusive, aqui onde trabalho, estamos iniciando alguma documentação nesse sentido. Não é bem uma biblioteca de padrões de interface, mas sim uma "biblioteca de componentes visuais e comportamentais". A diferença é que aqui entraremos em alguns detalhes de implementação. Como é algo mais corporativo, temos um ambiente padronizado de desenvolvimento, e esperamos que os componentes de interface, além do padrão visual/comportamental, sigam também um padrão de implementação, optamos por esse caminho. Mas não é nada fácil. Uma biblioteca de padrões de interface é mais simples de se produzir e principalmente de se manter, por não entrar nesses detalhes de implementação.

Bom, e nessa experiência, eu tenho me baseado muito na biblioteca de componentes do yahoo. Considero muito boa a organização que eles dão aos padrões lá, e as informações são as necessárias e suficientes para se entender e utilizar cada um deles. É interessante as seções da documentação divididas como perguntas, me parece que isso torna mais intuitiva a leitura. Eles colocam, por exemplo:

  • Que problema isso resolve?
  • Quando usar esse padrão
  • Qual é a solução?
  • Por que usar esse padrão?
  • Casos especiais
  • Acessibilidade

Essas seções variam um pouco de componente para componente, mas certamente há um padrão mínimo.

Agora, sobre a proposta do Fred, acho que é muito legal a ideia do "Eu já vi". Acaba sendo uma forma de medir a "popularidade" de um padrão.

#2

-- Não tem como apagar um comentário duplicado, né? Então, desconsiderem esse... --

#3

Um detalhe importante que não comentei é que esses padrões seriam construídos com a perspectiva da comunidade brasileira, ou seja, os padrões podem vir a ser diferentes dos usados pelo Yahoo. 

A gente ofereceria esses dados num formato XML para que possam ser incorporados facilmente por bibiliotecas dentro de organizações. 

Esse esforço da sua organização pode ter muito em comum com o esforço de outra organização. Nossa política de Inovação Aberta é justamente tentar encontrar esses pontos em comum para que as organizações compartilhem o que lhes beneficia mutuamente. Concordo que implementação é difícil de compartilhar, mas interface é bem possível, considerando que as referências que o usuário tem pra navegar são outros sites e aplicações concorrentes. 

Mas nós queremos no futuro também apoiar a implementação. Essa biblioteca de padrões permitira por exemplo criar um software similar ao Axure que puxasse as informações de uso dos padrões, vídeos de usabilidade, no momento em que se está projetando a interface. O Protopattern é uma idéia antiga que tivemos no Faber-Ludens que agora me parece muito mais perto da viabilidade. 

Mas primeiro temos que ter essa biblioteca de padrões, pois ela pode já alimentar as ferramentas de prototipação existentes como o Axure. 

Esse é o ponto do Corais: desenvolver ferramentas compartilhadas entre organizações. Só que para isso, a gente precisa de mais colaboração das organizações que pretendem usar essas ferramentas!